O que fazer se eu tiver um abscesso mamário durante a amamentação?

Abscesso mamário e seu desenvolvimento

O abscesso mamário é uma acumulação de pus dolorosa que se forma na mama. A maioria dos abscessos desenvolvem-se sob a pele e são causados por uma infecção bacteriana. O diagnóstico é realizado basicamente por parâmetros clínicos.

Os abscessos mamários são dolorosos, são nódulos inchados que também podem:

  • Ser vermelhos;
  • Transmitir uma sensação quente no local;
  • Fazer com que a pele ao redor fique inchada;
  • Causar febre.

O que causa o abcesso mamário?

O abscesso mamário pode acontecer por causa de uma mastite não tratada, tratada tardiamente ou que recebeu tratamento não eficaz. O não-esvaziamento adequado da mama afetada pela mastite, que costuma ocorrer quando a amamentação naquela mama é interrompida, favorece o aparecimento de abcesso.

Quais são os sintomas?

Os sintomas são febre, dor intensa, mal-estar, calafrios, áreas de flutuação sentidas durante a palpação, podendo comprometer em 10% as amamentações futuras, segundo alguns estudos. A amamentação deverá ser mantida, sendo apenas indicada a supressão na mama afetada, por alguns dias, quando o dreno ou a incisão da drenagem forem muito próximos ao mamilo. Nesses casos a criança deverá continuar mamando normalmente na mama não afetada.

O desmame não é necessário quando este orifício de drenagem não está junto ao mamilo. É importante que o bebê continue mamando para evitar a retenção do leite, o que pioraria o quadro. Quando a drenagem é efetuada por incisão ampla, às vezes são produzidas fístulas que acabam fechando espontaneamente, e que também não contraindicam a amamentação.

Como prevenir o abcesso mamário?

Todo o esforço deve ser feito para prevenir o abcesso mamário. Abcessos muito grandes podem necessitar de ressecções extensas, podendo resultar em deformidades da mama, bem como comprometimento funcional. Qualquer medida que previna o aparecimento de mastite (assim como a instituição precoce do tratamento da mastite, se ela não puder ser prevenida) consequentemente vai prevenir o abcesso mamário.

Qual é o tratamento?

O tratamento de escolha para abcesso mamário não é mais cirúrgico. Nós temos tido muitos melhores resultados através do ultrassom e um cateter é inserido para realizar a drenagem da secreção. Mães que se submetem a este procedimento não devem parar a amamentação, nem mesmo do lado afetado. A resolução do problema ocorre geralmente em uma semana. Este procedimento é realizado por um radiologista intervencionista e não por um cirurgião.

Para abscessos pequenos, aspiração com uma agulha e seringa, aliadas á antibioticoterapia, é tudo o que precisa ser feito, embora possa ser necessário aspirar mais do que uma vez.

Dicas: 

  • Evite as patologias da amamentação através do emprego da técnica correta, esvaziamento da mama e não pule mamadas.
  • Continue amamentando com a mama não afetada;
  • Faça o esvaziamento regular da mama;
  • Se você desejar continuar amamentando, não utilize drogas supressoras da lactação. Informe o seu médico.

Abscesso mamário

Referência Bibliográfica

  • GARBULHO, Ana Paula. Apostila “Consultoria em Aleitamento Materno”. Ano: 2017, São Paulo. 
  • REGO, José Dias. Aleitamento Materno. 3ª edição. São Paulo. Editora Atheneu, 2015.
  • MARIANO, Grasielly – “Socorro, eu não sei amamentar!”. 2ª edição – Nova Odessa: Napoleão; Jefte, 2012. 128 p.
  • GONZÁLEZ, Carlos. Manual Prático de Aleitamento Materno/ Carlos González; [tradução Maria Bernardes]. São Paulo. Editora Timo, 2014. 240 p. 

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ ℓεiค τคмвεм ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *