Doação de leite materno: cada gotinha é milagrosa para o prematuro

No Brasil são mais de 250 bancos e 145 postos de coleta de leite materno, e estes recebem a doação de leite materno. No ano de 2013, 46 mil litros doados serviram para alimentar 50 mil crianças. Diariamente, cada litro sustenta, em média, 10 recém-nascidos.

A doação é crucial para a saúde dos prematuros que estão em processo de recuperação e com dificuldades para mamar em suas mães. Segundo dados da OMS, o leite materno é capaz de proteger mais que vacinas e saneamento básico – até 13% das mortes por doenças evitáveis em menores de 5 anos são combatidas pelo alimento natural.

Recém-nascidos em UTI mamam?

Bebês internados em Unidades de Tratamento Intensivo requerem muitos cuidados. Isto porque, além do desenvolvimento natural, seu organismo também está, em condições anormais, lutando pela sobrevivência. O leite materno, neste momento, além de alimento, serve também como um remédio.

No entanto, muitas vezes as condições emocionais da mãe não contribuem para uma amamentação satisfatória. Os hormônios é quem são os responsáveis pela produção do leite. Mas, muitas vezes a mãe está passando por tanto estresse com o filho prematuro internado que não consegue produzir volume suficiente para ele se alimentar.

Não consigo amamentar meu filho na UTI: o que fazer?

Em casos em que a mãe não consegue amamentar o pequeno na UTI, os médicos podem solicitar ajuda do banco de leite. O leite materno doado deve ser sempre a segunda opção. A condição ideal é a mãe amamentando. Mas, em casos específicos, o leite doado é uma ótima opção. A fórmula deve ser deixada por último, pois, embora alimente, não apresenta todos os benefícios do leite produzido pelo corpo humano, como os anticorpos naturais.

Benefícios do leite materno

Para os prematuros, o oferecimento do leite materno pode ser a diferença entre a vida e a morte. É ele é o responsável por combater doenças comuns em bebês, por reforçar o sistema imunológico, por estimular o desenvolvimento cerebral e até por combater infecções. O leite humano forma uma camada semelhante a um tapete da boca até o ânus. Esse revestimento do sistema digestório evita que o organismo absorva bactérias causadoras de determinadas doenças.

Doação de leite materno: meu filho não vai ficar sem?

O que determina se uma mãe pode ser doadora de leite ou não é apenas a sua vontade de ajudar. O maior medo das mães é que, ao doar, falte leite para os seus bebês.

No entanto, a produção de leite materno funciona a partir de estímulos e, portanto, quanto mais estímulos as glândulas mamárias recebem, mais elas produzem. Qualquer mulher saudável pode estimular as mamas para que elas produzam mais. O bebê vai ter mais leite para se esbaldar e a mãe ainda vai poder contribuir com doações.

Como fazer a doação de leite materno?

Para realizar a doação de leite materno, é legal saber que os bancos de leite do Brasil servem de modelo para todo o mundo. Além de uma triagem, o processo ainda envolve procedimentos de pasteurização que tornam o alimento altamente seguro.

Para ser uma doadora de leite, a mulher deve procurar um posto de saúde que faça coleta e se cadastrar – anonimamente ou não. Após o processo burocrático, ela será instruída sobre os procedimentos padrões de higiene e armazenamento (pote de vidro com tampa de plástico sem cartão fervidos por 15 minutos).

É importante sempre prender os cabelos, lavar as mãos e higienizar o pote de vidro antes de tirar o leite.

A ordenha não precisa ser feita com bomba elétrica e tampouco com bombinha manual, que tende a piorar as rachaduras do bico dos seios. A ordenha manual é perfeita. Com as mãos mesmo a mãe pode extrair seu leite. Cada gotinha é milagrosa. De pouquinho em pouquinho é possível fazer muito.

É natural que no começo saia uma quantidade reduzida, pois a fabricação vai se regulando aos poucos.  A mãe ainda pode aproveitar para ordenhar uma mama enquanto alimenta o bebê com a outra.

O leite retirado deve ser congelado. No pote, a data da primeira extração deve ser anotada. A partir deste dia, congelado, o material tem validade de até 15 dias, tempo suficiente para acumular uma boa quantidade. A lactante tira um pouco e congela. Na próxima extração, coloca o novo leite em cima daquele já congelado. É até legal observar as diferentes colorações das faixinhas.

Algumas cidades fornecem o serviço de transporte. Ou seja, o próprio banco de leite busca a doação ou então tem esse serviço prestado pelos bombeiros.

Amamentação cruzada

Embora oferecer o leite materno aos pequenos seja essencial, Luciana alerta que a amamentação cruzada é um grande risco. O Ministério da Saúde não indica a amamentação cruzada, isto porque o risco de transmitir doenças como hepatite e HIV é muito grande.

Não consigo amamentar: o que fazer?

O primeiro passo para quem tem dificuldade em amamentar é procurar orientação de especialistas na área. Bancos de leite municipais ou postos de saúde fornecem o aconselhamento, corrigindo a pega e estimulando o peito e o bebê.

A amamentação é muito mais que alimentação. Ela também é vinculo e apego. Por isso é muito importante apoiar todas as lactantes sem nenhum tipo de julgamento, principalmente se ela estiver passando por dificuldades.

Doação de leite materno

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ ℓεiค τคмвεм ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *