Fissuras Mamilares por fungo Candida spp

Em caso de fissuras mamilares resistentes a tratamento ou de dor prolongada nos mamilos, deve-se pensar na possibilidade de fissura mamilar por Candida spp. Esse fungo, organismo comumente encontrado na vagina e no trato gastrointestinal é um patógeno oportunista, causador de grande número de infecções no ser humano. É também encontrado com frequência na cavidade oral de recém-nascidos e tem sido pouco valorizado na etiologia das fissuras mamilares.

Sinais e sintomas das fissuras mamilares por Candida spp

Os sinais e sintomas da fissura mamilar por Candida spp são semelhantes aos encontrados na cavidade oral e pele da criança e são de fácil reconhecimento. A pele dos mamilos pode apresentar-se brilhante e avermelhada, às vezes com aspecto eczematoso, ou apenas irritada. Pode aparecer também, com aspecto de fragilidade, muito fina e com descamação.

Raramente são observadas placas esbranquiçadas na aréola ou nos mamilos. As mulheres referem coceira e ardor ou queimação intensa e persistente nos mamilos, mesmo nos intervalos das mamadas, que não respondem às mudanças de posição da criança. O ardor nos mamilos é sintoma mais característico. Em alguns casos, a mulher também pode se queixar de dor nas mamas, significando possível contaminação ductal, expressando dor e ardor persistente, com irradiação por toda a mama durante e depois das mamadas.

Tratamento

O tratamento geralmente consiste na aplicação local de nistatina, ou de miconazol (gel oral com 20 mg/g), durante aproximadamente 14 dias. Com o uso da medicação tópica o resultado geralmente é bom, e na experiência do CELAC, há melhor resposta no uso do miconazol (gel oral). O mais importante é que o tratamento deverá ser simultâneo na criança e na mãe, mesmo que um deles ou ambos não apresentem sintomas. Em raros casos que não respondem à medicação tópica, é necessário o uso de miconazol ou fluconazol sistêmicos.

Infecção por cândida em outras localizações 

Os casos de infecções por Candida spp em outras localizações, tanto na mãe quanto na criança (vulvovaginites, dermatite amoniacal etc), também deverão ser tratados. Nas crianças com monilíase oral (sapinho na boca) deverá proceder-se à retirada das placas com gaze estéril antes de aplicar-se qualquer medicação.

O que a mamãe deve evitar? 

Para evitar a reinfecção não devem ser omitidos os cuidados de higiene, tais como fervura, ao menos por vinte minutos, de todos os materiais que entram em contato com o leite materno, com as mamas ou com a boca da criança (por exemplo, chupetas, brinquedos etc). A mãe deverá evitar o uso de protetores nos mamilos e o sutiã deverá ser trocado diariamente e lavado cuidadosamente.

Fissuras mamilares

Fonte: REGO, José Dias. Aleitamento Materno – “Problemas Precoces e Tardios das Mamas: Prevenção, Diagnóstico e Tratamento”. 3ª edição. São Paulo. Editora Atheneu, 2015. 
Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral.

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ ℓεiค τคмвεм ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *