Galactocele: formação cística nos ductos mamários

Galactocele ou cisto de retenção de leite materno são incomuns e aparecem especialmente em nutrizes. O conteúdo dos cistos é geralmente leite, mas, posteriormente, com a absorção de fluidos, torna-se mais espesso, cremoso ou aparece sob a forma de material oleoso. Podem ser palpados com um nódulo liso e arredondado.

Qual é a causa da galactocele? 

Acredita-se que a galactocele seja causada por um bloqueio de ducto lactífero, e sua presença não indica o desmame. Ela pode ser palpada como uma massa lisa e redonda, mas o diagnóstico é feito por aspiração ou ultrassonografia. Através da ultrassonografia é possível realizar o diagnóstico diferencial com tumores de mama.

Como identificar a galactocele? 

O cisto é formado por leite retido, que por reabsorção de água pode converter-se nesse material cremoso ou oleoso já mencionado, que ás vezes sai pelo mamilo ao apertá-lo. Por isso a ultrassonografia é tão importante para efetivar um diagnóstico preciso. A ecografia permite distingui-lo de um tumor sólido.

E se eu tiver um nódulo que não desaparece?

Se você tem um nódulo que não desaparece ou não diminui em algumas semanas, você deve ser vista por um médico ou cirurgião. Você não precisa parar de amamentar durante a investigação (ultrassom, mamografia e até mesmo uma biópsia não demanda que você pare de amamentar do lado afetado). Um médico amigo da amamentação não pedirá que você interrompa o aleitamento até que ele tenha investigado o nódulo.

Como é realizado o tratamento?

O tratamento é feito com aspiração, entretanto, a aspiração pode ser tentada para evitar a cirurgia, mas recidivas podem ocorrer. Contudo, geralmente com frequência, a formação cística deve ser extraída cirurgicamente, porque o cisto enche novamente após a aspiração. Por isso, dizemos que ele pode ser esvaziado por punção, mas normalmente volta a encher.

Remoção do cisto por cirurgia

O cisto pode ser removido por cirurgia sem interromper a amamentação. Sua remoção poderá ser feita com anestesia local e mesmo com a anestesia não será necessário parar o processo de aleitamento materno.

Ultrassonografia apresentando formação cística, confirmada galactocele através de aspiração do conteúdo lácteo. 

Galactocele

Fonte da Imagem: http://www.fcm.unicamp.br

Referência Bibliográfica:

  • GARBULHO, Ana Paula. Apostila “Consultoria em Aleitamento Materno”. Ano: 2017, São Paulo. 
  • GONZÁLEZ, Carlos. Manual Prático de Aleitamento Materno/ Carlos González; [tradução Maria Bernardes]. São Paulo. Editora Timo, 2014. 240 p. 
  • REGO, José Dias. Aleitamento Materno. 3ª edição. São Paulo. Editora Atheneu, 2015.
  • MARIANO, Grasielly – “Socorro, eu não sei amamentar!”. 2ª edição – Nova Odessa: Napoleão; Jefte, 2012. 128 p.

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *