Hipoglicemia no bebê: concentração baixa de açúcar no sangue

Ao decorrer da gravidez, a necessidade de glicose do feto é suprida pela placenta, assim sua produção não é necessária. Depois do nascimento, acontecem vários processos de ajuste metabólico e endocrinológicos no bebê que possibilitam sua adaptação à grande precisão de glicose neste período. Às vezes, em alguns recém-nascidos, estes mecanismos de adaptação não acontecem de maneira adequada, o que predispõe a um risco maior de hipoglicemia no bebê.

O que é hipoglicemia?

Hipoglicemia é a concentração baixa de açúcar no sangue. A glicose é a fonte primordial de energia para o cérebro dos recém-nascidos, por esse motivo, episódios recorrentes de hipoglicemia no bebê podem ocasionar um prejuízo no desenvolvimento neurológico e outras alterações.

Bebês saudáveis produzem glicose a partir dos nutrientes do próprio leite materno. Logo depois que ele acaba de mamar, os níveis de glicose aumentam, contudo voltam a reduzir à medida que se aproxima a hora da próxima mamada. É um processo minucioso, entretanto eficiente para a maioria dos bebês.

Risco maior de hipoglicemia

Alguns bebês têm uma predisposição maior de apresentar hipoglicemia. São eles:

  • Bebês pré-termo e que nasceram com baixo peso para a idade gestacional.
  • Bebês de mães diabéticas.
  • Bebês que apresentaram dificuldade respiratória após o nascimento.
  • Bebês que sofreram de hipotermia (baixa temperatura do corpo).
  • Bebês que apresentaram alguma infecção.

hipoglicemia no bebê

Como tratar a hipoglicemia?

Para tratar a hipoglicemia, a melhor alternativa é a amamentação exclusiva e em livre demanda (oferecer o peito sempre que o bebê quiser), porque, além de suprir todas as necessidades nutricionais do recém-nascido, promove o contato pele a pele entre mãe e bebê ajudando a manter o pequeno aquecido.

O risco de hipoglicemia (como nos filhos de mães diabéticas) não justifica a separação. Os controles podem ser feitos perfeitamente enquanto o recém-nascido estiver com sua mãe, e como já mencionado anteriormente, e o contato pele a pele ajuda a evitar a hipoglicemia.

O soro glicosado por via oral não deve ser usado para prevenir nem para tratar hipoglicemias (o tratamento de uma hipoglicemia sintomática é endovenoso). A amamentação precoce e o contato pele a pele ajudam a prevenir a hipoglicemia.

É necessário realizar o controle de glicemia como rotina?

Não é necessário nem conveniente realizar o controle de glicemia como prática rotineira em recém-nascidos sadios sem fatores de risco. As fitas reagentes são muito pouco confiáveis para avaliar uma hipoglicemia e deve-se usar uma medição de laboratório.

Mesmo que o bebê não consiga iniciar o processo de sucção no seio por por algum motivo, o leite materno pode ser ofertado por outro método, ou seja, em copinho. A mamadeira não é recomendada por promover a confusão de bicos. Para que o leite seja oferecido no copinho, é necessário que a mãe realize a ordenha e o estoque em um reservatório estéril. Por fim, o armazenamento deve ser no congelador ou geladeira.

Pontos de corte para o diagnóstico de hipoglicemia no bebê

A definição do ponto de corte implicado para diagnosticar uma hipoglicemia no recém-nascido, é motivo de controvérsias. Entretanto, grande parte dos autores sugerem intervenção e investigação com a medição da glicemia de 36 mg/dl. Mas, isso varia com o passar das horas do nascimento.

Foram sugeridos diferentes pontos de corte para o diagnóstico da hipoglicemia neonatal. Uma publicação recente propõe 28 mg/dl 1 ou 2 horas depois do parto, 40 mg/dl às 3-47 horas e 48 mg/dl às 48-73 horas.

O que fazer se o bebê estiver sonolento?

A maioria dos recém-nascidos mama com frequência nos primeiros dias de vida, isso porque o leite materno é de fácil digestão e seu estômago é bem pequenininho, o que significa estômago pequeno é igual a mamadas frequentes. Todavia, outros, ficam muito sonolentos e podem demorar um pouco mais para iniciar o processo de aleitamento materno com regularidade, o que pode possibilitar a redução dos níveis de açúcar no sangue bruscamente, gerando hipoglicemia no bebê.

Analgesias no momento do parto, também podem deixar a criança mais sonolenta nos primeiros dias após o nascimento. O problema é que quanto mais sonolento o recém-nascido ficar, menos vai mamar e a hipoglicemia irá se agravar, resultando em um ciclo vicioso.

Quando o bebê está muito dorminhoco e não quer acordar para mamar, o essencial é mante-lo em contato pele a pele com a mãe. Dessa maneira, o pequeno conseguirá sentir o cheiro do leite da mãe e será instigado a buscar pelo seio e iniciar o processo de aleitamento materno.

Hipoglicemia no bebê

Referência Bibliográfica: 
  • GONZÁLEZ, Carlos. Manual Prático de Aleitamento Materno/ Carlos González; [tradução Maria Bernardes]. São Paulo. Editora Timo, 2014. 240 p. 

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ ℓεiค τคмвεм ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *