Mamas cheias: o bebê não consegue sugar o leite!

Mamas cheias

Estar com as mamas cheias, com a produção em exagero, não é legal para o bebê. Imagine uma bexiga bem cheia e você tentando abocanhá-la, será que vai dar certo? Não! Agora, a esvazie e tente sugá-la. Vai dar mais que certo, você vai conseguir! Da mesma forma acontece com o pequeno. Quando as mamas estão muito cheias, o bebê não consegue realizar uma pega correta, não consegue abocanhar a aréola e consequentemente poderá promover na mãe as fissuras e rachaduras mamilares. Então, como esvaziar a mama para o bebê sugar? Através da ordenha!

Ordenha manual: como realizar?

A ordenha manual é realizada por meio de uma técnica adequada e prática, entretanto, depois que as mamães aprendem, conseguem extrair o leite com muita facilidade. A mama deve ser massageada com movimentos circulares, da base em direção à aréola, a pressão como os dedos deve ser firme e tem como objetivo estimular os ductos iniciais do seio (pense que os primeiros ductos são os carros do estacionamento de um shopping que estão sem o papel para saída do estacionamento, e os que estão atrás possuem o papel para sair do estacionamento. Para que os outros que estão com papel saiam, não é preciso que os que estão sem descongestionem a saída primeiro? Assim são os ductos. Para que o leite consiga ser extraído, é necessário que os ductos que ficam no início da mama, sejam “desatados”).

Se sentir dor, peça ajuda. Pense com carinho no bebê para auxiliar na descida do leite. Com os dedos da mão em forma de “C”, posicione o polegar na aréola acima do mamilo e o dedo indicador abaixo do mamilo na linha média da aréola mama (para facilitar, imagine a mama dividida ao meio verticalmente e faça dessa “linha imaginária” a linha do meio, em oposição ao polegar, sustentando o seio com os outros dedos. Pressione a aréola e solte, pressione novamente e solte, e assim por diante. Pode ser um pouco incômodo, contudo este incômodo tende a passar após alguns minutos de ordenha. No início pode sair bem pouquinho, mas depois de um tempinho já realizando o processo,o leite começará a pingar ou aparecer em pequenos jatos. Despreze os primeiros jatos, para evitar o risco de contaminação. Mude a posição dos dedos ao redor da aréola para esvaziar todas as áreas (pressionando toda a aréola). Mude a mama quando o fluxo de leite reduzir, repita o procedimento várias vezes. A duração do processo é de aproximadamente 30 minutos.

mamas cheias

O meu leite é fraco

A mãe que se sente angustiada, insegura e não tem informações confiáveis e de qualidade, vê o choro do bebê sempre como “o meu leite não está suprindo a fome do meu filho” e, descrente que o seu leite não está saciando as necessidades nutricionais do seu bebê, opta por dar a fórmula, sem compreender que o natural e ideal, é que a retorne ao mesmo tamanho anterior a produção de leite vividos os primeiros meses de aleitamento, quando a produção está sendo ajustada pelo corpo de acordo com a demanda do bebê, ou seja, não haverá mais produção em exagero, apenas o suficiente para nutrir a criança de maneira satisfatória. Estes são os indícios de que a amamentação está indo bem e evolucionando de maneira que não exista riscos para o desenvolvimento de mastite, que está interligada ao empedramento do leite que não foi sugado pelo pequeno no momento da amamentação.

Busque informações e orientação profissional

Quando você estiver com sentimento de angústia e supondo que seu leite é fraco e não está saciando a fome do seu bebê, busque informações e orientação de uma consultora em aleitamento materno ou mesmo o pediatra, para que ele realize a avaliação de crescimento e desenvolvimento do seu filho e analise com propriedade se tudo está indo bem. Uma consultora em aleitamento materno poderá observar se a pega do seu bebê está correta e se realmente ele está sugando de forma que a sua fome esteja sendo saciada, e o ganho de peso esteja adequado para a sua faixa etária.  Não se desmorone! Os bebês choram por inúmeros motivos: aconchego, colinho, cólica, gases, fralda suja, sono, arroto, nascimento dos dentinhos, e não somente por fome!

Compreender isso previamente é indispensável, pois a partir de um certo período, por volta do segundo ou terceiro mês de vida do bebê, as mamas regressam quase ao tamanho normal e isso espanta várias mamães que confiam que este é um sintoma de escassez de leite. E mais uma vez eu digo: o seio materno não é estoque, é fábrica!

Mamas cheias

Esse blog não substitui as consultas de pediatria ou consultas médicas em geral.

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ ℓεiค τคмвεм ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *