O estado emocional da mãe pode afetar a ejeção do leite materno

Hoje presenciei duas cenas tristes. Indo medicar mães que estavam com seus bebês após o parto (cesárea), observei duas situações distintas, porém, ambas se referem ao aleitamento materno e estão vinculadas ao estado emocional da mãe.

Muitas mamães pensam que amamentar é extremamente fácil e que é algo instintivo, ou seja, quando o bebê quiser se alimentar ele vai chorar, ela irá colocá-lo no peito e o mesmo irá suprir suas necessidades nutricionais em instantes. Ela entende que ele nasce sabendo mamar, que já sabe fazer a pega e que não terá nenhum problema com o início do processo. Entretanto, nada são flores!

Apoio familiar: pai desmotivador 

A primeira mãe colocava o bebê no peito e ele não conseguia pegar o mamilo juntamente a aréola, apenas abocanhava o mamilo e isso estava o deixando irritado e muito choroso. A mãe, também já estava ficando desmotivada por tentar e ele não conseguir abocanhar e mamar normalmente. Mas aí vem a chave para o sucesso da amamentação: o apoio familiar. O pai, ao invés de motivar a mamãe, mencionar frases de apoio e positivas, simplesmente olhou para a esposa e disse: “Você não dá conta, você não tem paciência para nada!”. Gente, aquilo me entristeceu!

O apoio familiar é extremamente importante para que a mãe consiga amamentar o seu bebê e persistir com a amamentação, pois, no início nada é fácil, muito pelo contrário, muitos obstáculos podem surgir dificultando todo o processo. Por isso, se não houver argumentos motivadores, ajuda para oferecer, desejo em auxiliar, por favor, não fale, não demonstre ira ou impaciência com a mãe, definitivamente ela não precisa disso!

O estado emocional da mãe

A segunda mãe estava chorando quando eu cheguei no quarto. Eu perguntei: O que foi? Ela respondeu: acho que não consigo alimentar o meu bebê, pois ele está perdendo peso e eu não estou conseguindo! Eu lhe disse: “Calma! No início é tudo mais difícil, o diferencial é o apoio que recebemos e a vontade em persistir. Ter paciência é fundamental! Você está dando o seu melhor, com o tempo tudo irá se encaixar e vocês viverão um intenso vínculo afetivo durante a amamentação!”. A primeira coisa que fiz foi ajudá-la a posicionar o bebê, depois o auxiliei com a pega (abocanhando mamilo e aréola) e ele mamou, mamou e mamou muito! Barriguinha cheia, sono tranquilo, e a mamãe ficou muito mais feliz e tranquila!

Apoio é tudo!

O que eu quero dizer com tudo isso? Que quando o processo de aleitamento materno acontece, a mãe precisa de apoio e não de frases desmotivadores que promoverá o desmame precoce. A pessoa que está ao seu lado, principalmente o esposo, deve obrigatoriamente a auxiliar e ajudar em qualquer circunstância. Amamentar não é fácil, e tudo o que essas mães precisam é de informação e ajuda. O leite materno é o melhor alimento que elas podem oferecer ao pequeno, por isso, o dever de todos nós, sejamos profissionais, amigos, companheiros, mãe, pai, irmão, tia enfim, é motivar.

Estado emocional da mãe x descida do leite

A ejeção do leite materno pode sim ser prejudicada pelo estado emocional da mãe. O hormônio da adrenalina, que é liberado quando a mãe está triste, ansiosa, angustiada, infeliz, não inibe a produção do leite materno, mas sim a sua saída. Amamentar não é simplesmente oferecer para o bebê o melhor alimento e imunidade que existe, é também uma forma de se relacionar. Então, se essa mãe está infeliz, essa relação também não está bem, sendo assim a mamãe não estará disponível para este tipo de vínculo que exige nos primeiros momentos uma intensidade muito grande de presença.

Sinta-se mais leve, procure ajuda!

Por isso, é essencial compreender que você precisará de ajuda, de apoio, que não dará conta de tudo sozinha. A maternidade real juntamente ao processo de aleitamento materno não é fácil, exige paciência e muita persistência. Então, precisa de ajuda? Precisa de mais informações? Busque! Não se envergonhe de dizer que necessita de alguém para todo o processo ficar mais fácil e leve! Você tem esse direito.

o estado emocional da mãe

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *