12 sinais de que a pega do bebê está errada na amamentação

A ocitocina provoca a contração das células mioepiteliais que rodeiam as células secretoras e o leite acumula-se nos ductos lactíferos, abaixo da aréola. É dali que o bebê tem que tirar o leite, espremendo ativamente a aréola com a língua. Nesse instante, a mamada deve ser avaliada e certificada se a pega está correta ou não.

O bebê não mama apenas fazendo vácuo, mas principalmente apertando com a língua para cima e em direção a si mesmo. Para isso, é imprescindível que ele tenha a língua debaixo da aréola. Entre a língua e o peito não há fricção, porque a língua não se desloca, mas é percorrida por uma onda de pressão, como uma contração peristáltica, da ponta da língua até a base.

Para ter uma boa pega, o bebê deve ter a boca muito aberta, com ambos os lábios virados para fora. O peito deve estar muito dentro da boca e a língua debaixo da aréola. Entre o mamilo e o lábio inferior deve haver suficiente espaço para colocar a língua. Por tanto, o mamilo normalmente não está no centro da boca, mas mais próximo ao lábio superior (colocação assimétrica).

Síndrome da posição inadequada: sinais de que a pega está errada!

Quando o bebê não está corretamente colocado no peito (por exemplo, se tem a boca pouco aberta e só abocanha o mamilo), produz-se uma cadeia de sintomas e sinais:

  • Por não poder apertar o peito com a língua, o bebê tenta obter leite fazendo vácuo, um método pouco eficaz, que exige mais força para obter menos leite. As bochechas afundam, como quando tomamos um refresco com um canudinho (normalmente, quando um bebê mama, suas bochechas não afundam, mas projetam-se, como quando mastiga).
  • Por fazer mais força sobre menos superfície, a pressão aumenta, o que produz dor e fissuras no mamilo. Além disso, a língua comprime o mamilo contra o palato duro, ferindo-o.
  • O mamilo pode estar avermelhado pelo desgaste do atrito; sua cor é realçada em relação a aréola.
  • Como a sucção não é eficaz, o bebê mama durante muito tempo, muitas vezes por mais de meia hora, e não solta o peito sozinho, mas a mãe tem que retirar o peito de sua boca. Mais que mamar, está esperando que caia em usa boca o leite que pinga espontaneamente pelo efeito da ocitocina.
  • O bebê engole ar e faz barulho ao mamar.
  • Apesar das mamadas longuíssimas, o bebê não parece satisfeito e em pouco tempo volta a pedir o peito.
  • As mamadas são muito frequentes, alguns bebês mamam quase sem interrupções durante horas.
  • O bebê mama um grande quantidade do início, pobre em calorias, mas não consegue obter o leite do final, rico em gorduras. O volume total de leite ingerido é superior à sua capacidade gástrica, o que o leva a regurgitar e vomitar com frequência.
  • O peito da mãe reage a essa situação produzindo mais leite de início, e sua hipófise produz mais ocitocina que o normal. É como um mecanismo de segurança, para que o bebê que não mama eficazmente obtenha pelo menos um pouco de leite. Uma maior produção de leite e um esvaziamento insuficiente levam à ingurgitação, e às vezes à mastite.
  • O excesso de ocitocina (não devido a nenhuma anomalia da hipófise, mas por efeito da má posição) faz com que a mãe note uma forte “descida” de leite, às vezes de maneira repetida na mesma mamada.
  • O bebê ingere menos gorduras que o normal, mas mais proteínas e mais lactose. A sobrecarga de lactose pode produzir uma intolerância relativa. As bactérias intestinais atuam sobre a lactose não digerida, produzindo gases e fezes diarreicas e ácidas.
  • O aumento de peso é muito variável. Se a mãe tentou seguir os clássicos mandamentos de “dez minutos a cada três (ou quatro) horas” o bebê engordará muito pouco, ou perderá peso. Mas se ela dá o peito em livre demanda é possível, apesar de tudo, que ele engorde normalmente ou até que engorde demais. Alguns bebês, apesar de já terem mamado suficientes calorias, continuam pedindo e mamando em excesso, talvez por falte a sensação de saciedade que as gorduras produzem.

Se o bebê engorda, tudo vai bem?

É um erro, portanto, pensar que a amamentação sempre vai bem se o bebê engorda. Se para engordar o bebê tem que sofrer vômitos, cólicas, diarreias, e sua mãe fissuras, ingurgitação e falta de sono, é porque a amamentação não vai bem. Deve-se ajudar a mãe a encontrar uma posição mais adequada, e certamente a pega correta.

pega

Referência Bibliográfica:

GONZÁLEZ, Carlos. Manual Prático de Aleitamento Materno/ Carlos González; [tradução Maria Bernardes]. São Paulo. Editora Timo, 2014. 240 p. 

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *