Amamentar na primeira hora de vida: diminui risco de morte e fortalece a imunidade do bebê

A amamentação na primeira hora de vida é extremamente importante para a saúde do bebê pois, ela diminui os riscos de mortalidade e oferece anticorpos para que o pequeno viva intensamente os primeiros dias de sua vida. Nesse instante, as mamães também estão mais dispostas a estreitar a relação com o bebê, favorecendo o vínculo afetivo. Por isso, é essencial o processo de aleitamento materno ser iniciado nesse momento.

Casinha: barriga da mamãe!

Quando o bebê vem ao mundo ele passa por um estranhamento, o que é absolutamente normal. Pois, no útero ele tinha todo o aconchego que precisava, principalmente a temperatura ideal, e logo que nasce sente todo o impacto que a “vida real” tem para lhe oferecer: barulho e frio. A barriga da mamãe para a criança foi o seu ambiente protetor. Lá, ele encontrou tudo o que precisava durante os 9 meses, por esse motivo, a vida extrauterina se torna um desafio.

Assim, quando se coloca ele em contato pele a pele com a mãe, o deixando reconhecê-la e desfrutar deste momento único, este impacto é reduzido com a primeira mamada e esse é o foco, promover o aconchego.

Amamentar na primeira hora de vida 

Quando o bebê suga o seio é liberado ocitocina. Este hormônio tem o objetivo de promover as contrações uterinas e estimular os ductos das mamas a liberar o colostro. O colostro é a primeira secreção que sai do peito da mãe, e é considerado a primeira vacina do bebê, pois transfere imunidade ao pequeno.

Teste de APGAR

É importante ressaltar que, para adiar as intervenções médicas e deixar que o bebê viva esse instante, “a primeira mamada”, intensamente com a mãe, ele precisa estar saudável. Por isso, é realizado o teste de APGAR, onde o ritmo respiratório, a frequência cardíaca, o tônus muscular, o reflexo e a cor precisam estar normais, caso o contrário, a prioridade é avaliar o bebê e intervir a fim de salvá-lo. Se tudo estiver bem, o contato pele a pele pode ser realizado, mas para que esse bebê não perca calor, é imprescindível regular a temperatura do ambiente para aproximadamente 26ºC e iniciar o processo cobrindo-o com um pano seco e aquecido.

O teste de APGAR deve ser feito com base em questões objetivas, ou seja, cada tópico acima explicitado, como ritmo respiratório, frequência cardíaca, tônus muscular, reflexo e cor são analisados com o intuito de se dar uma nota para cada característica avaliada.

Exemplo: um exemplo claro com um dos tópicos mencionados é a respiração, se o bebê não respirar ao nascer, ele receberá nota 0. Já se apresentar respiração inadequada, sem um ritmo frequente, receberá nota 1 e se nascer apresentando um choro forte, rigoroso, receberá 2.

Após a avaliação do bebê, ou seja, quando o pediatra verifica que está tudo bem com os seus sinais vitais, o bebê deve imprescindivelmente ser colocado ao seio da mãe, se está tudo bem não existe motivos para deixá-lo em outro ambiente que não seja sugando o peito da mamãe. A busca ao seio materno é instintivo, ele irá procurar por até 40 minutos o seio materno. Quando ele o encontra, o processo de sucção começa. É importante ressaltar que para o bebê realizar uma pega correta ele não deve apenas sugar o bico do seio mas principalmente a aréola.

Como são atribuídas as notas em relação ao teste de APGAR? 

Todos os tópicos são avaliados dessa maneira, cada característica recebe uma nota, com a somatória dessas notas pode-se concluir se o bebê está saudável ou não. Bebês que recebem nota entre 8 e 10 são especificados como saudáveis e que não passaram por asfixia. Crianças que tiveram notas entre 6 e 7 vivenciaram uma asfixia leve e passageira, os pequenos com nota entre 3 e 5 passaram por uma asfixia moderada e, por fim, aqueles que foram avaliados e certificados com nota entre de 0 e 3, fazem parte do estado grave.

teste de apgar

Intervenções médicas podem ser adiadas

É uma pena que ainda muitas instituições, ou talvez a maioria delas, não permitem que esse momento aconteça entre mãe e bebê, os tirando rapidamente do útero da mãe já realizando a avaliação médica sem que seja necessário agir com tanta pressa. Como já mencionamos, se ao observar e for constatado que tudo está bem com o pequeno, não é preciso efetivar a intervenção médica naquele instante, ela pode ser adiada. Diante a estatísticas concluídas através de estudos científicos, aproximadamente 10% dos bebês precisam de ajuda para respirar ao nascer e  menos de 1% requer uma reanimação vigorosa (massagem cardíaca).

Busca e sucção do seio materno

Esse primeiro contanto realmente é importante para acontecer essa primeira busca e sucção do seio, pois após a primeira hora de vida, o recém-nascido tem o hábito de dormir e ficar mais preguiçoso, pelo fato de ter feito esforço para nascer e consequentemente para se acostumar com esse “outro ambiente” que ele passará toda a sua vida. Então, caso a avaliação pelo pediatra seja positiva, ou seja, todas as observações como frequência cardíaca, saturação, e movimentação estejam ideais para o recém-nascido, o bebê deve ser colocado junto a mãe para mamar.

Vantagens da amamentação na primeira hora de vida 

  • Antecipa a primeira imunização;
  • A sucção libera hormônio que contrai o útero e evita hemorragia;
  • Reforça o vínculo afetivo entre mãe e filho.

primeira hora de vida

Créditos da Foto: @monetnicolebirths

O primeiro banho

O primeiro banho normalmente acontece 6 horas após o nascimento do bebê, porém isso depende do protocolo de cada hospital. Essa pequena demora acontece porque nesse intervalo de tempo a pele já beneficiou do vérnix – material gorduroso que protege a pele do bebê impermeabilizando e fazendo uma barreira contra ações bacterianas. Após o nascimento ele continua proporcionando proteção ao bebê.

primeiro banho na maternidade

Capacidade de busca do seio da mãe

O bebê nasce com a capacidade de procurar o peito, reconhecê-lo e aproximar-se dele. Quando é deixado sem roupas imediatamente depois do parto (antes mesmo de cortar o cordão umbilical) sobre o corpo nu de sua mãe, em alguns minutos começa a mover-se, arrasta-se como pode até o peito e começa a mamar, normalmente em uma posição perfeita.

O cheiro é seu principal guia (Varendi): se durante o parto lava-se um dos seios com sabonete, o bebê irá em direção ao peito não lavado. Um recém-nascido pode deslocar-se e alcançar um absorvente para seios de sua mãe situado a 17 cm de distância. Provavelmente a cor do mamilo e da aréola, que escureceram durante a gravidez, e a projeção do mamilo, que entra em contato com o seu rosto, o ajudam a localizar o ponto exato.

Sugestão de vídeo: 

 

Referências Bibliográficas:
  • GONZÁLEZ, Carlos. Manual Prático de Aleitamento Materno/ Carlos González; [tradução Maria Bernardes]. São Paulo. Editora Timo, 2014. 240 p. 
  • VÍDEO: Canal no Youtube – Narrativas do Nascer. 

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ ℓεiค τคмвεм ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *