A primeira mamada do bebê

Logo que o bebê nasce, independente se foi de parto normal ou cesárea, é recomendado que ele tenha o contato pele a pele com a mamãe até que seja efetivada a primeira mamada. Esse contato promove o vínculo afetivo entre mãe e bebê, já que nesse instante o amor está solto no ar. É orientado pelo Ministério da Saúde que quando o bebê nasce em condições saudáveis, ou seja, sem apresentar intercorrências, as intervenções médicas podem ser deixadas para mais tarde, com o intuito de fortalecer cada vez mais esse vínculo precioso.

Um novo mundo: a primeira mamada

Quando o bebê vem ao mundo ele passa por um estranhamento, o que é absolutamente normal. Pois, no útero ele tinha todo o aconchego que precisava, principalmente a temperatura ideal, e logo que nasce sente todo o impacto que a “vida real” tem para lhe oferecer: barulho e frio. Assim, quando se coloca ele em contato pele a pele com a mãe, o deixando reconhecê-la e desfrutar deste momento único, este impacto é reduzido com a primeira mamada e esse é o foco, promover o aconchego.

Teste de APGAR

É importante ressaltar que, para adiar as intervenções médicas e deixar que o bebê viva esse instante, “a primeira mamada”, intensamente com a mãe, ele precisa estar saudável. Por isso, é realizado o teste de APGAR, onde o ritmo respiratório, a frequência cardíaca, o tônus muscular, o reflexo e a cor da pele precisam estar normais, caso o contrário, a prioridade é avaliar o bebê e intervir a fim de salvá-lo. Se tudo estiver bem, o contato pele a pele pode ser realizado, mas para que esse bebê não perca calor, é imprescindível regular a temperatura do ambiente para aproximadamente 26ºC e iniciar o processo cobrindo-o com um pano seco e aquecido.

O teste de APGAR deve ser feito com base em questões objetivas, ou seja, cada tópico acima explicitado, como ritmo respiratório, frequência cardíaca, tônus muscular, o reflexo e a cor da pele são analisados com o intuito de se dar uma nota para cada característica avaliada.

Exemplo: um exemplo claro com um dos tópicos mencionados é a respiração, se o bebê não respirar ao nascer, ele receberá nota 0. Já se apresentar respiração inadequada, sem um ritmo frequente, receberá nota 1 e se nascer apresentando um choro forte, rigoroso, receberá 2.

Como são atribuídas as notas em relação ao teste de APGAR? 

Todos os tópicos são avaliados dessa maneira, cada característica recebe uma nota, com a somatória dessas notas pode-se concluir se o bebê está saudável ou não. Bebês que recebem nota entre 8 e 10 são especificados como saudáveis e que não passaram por asfixia. Crianças que tiveram notas entre 6 e 7 vivenciaram uma asfixia leve e passageira, os pequenos com nota entre 3 e 5 passaram por uma asfixia moderada e, por fim, aqueles que foram avaliados e certificados com nota entre de 0 e 3, fazem parte do estado grave.

Intervenções médicas podem ser adiadas

É uma pena que ainda muitas instituições, ou talvez a maioria delas, não permitem que esse momento aconteça entre mãe e bebê, os tirando rapidamente do útero da mãe já realizando a avaliação médica sem que seja necessário agir com tanta pressa. Como já mencionamos, se ao observar e for constatado que tudo está bem com o pequeno, não é preciso efetivar a intervenção médica naquele instante, ela pode ser adiada. Diante a estatísticas concluídas através de estudos científicos, aproximadamente 10% dos bebês precisam de ajuda para respirar ao nascer e  menos de 1% requer uma reanimação vigorosa (massagem cardíaca).

Contato pele a pele entre mãe e bebê

O contato pele a pele entre mãe e bebê na primeira hora de vida, induz a liberação de ocitocina, que é o hormônio responsável pelo vínculo e pela descida do leite. Quando esse contato acontece nos primeiros 60 minutos, essas crianças tendem a ser mais tranquilas e emocionalmente estáveis, além de aumentar as chances de amamentação precoce e por um período prolongado.

primeira-mamada

Créditos da Foto: @monetnicolebirths

2 Comments on A primeira mamada do bebê

  1. Ana
    outubro 7, 2016 at 12:14 am (8 meses ago)

    Lorena, preciso de sua ajuda! Cefalexina diminui o leite? Pois meu seio está empedrado e o médico me receitou porém tenho medo do leite diminuir ou secar! Como posso tratar esse problema de uma forma mais natural?

  2. lorena
    outubro 10, 2016 at 1:17 pm (8 meses ago)

    Ana, desculpa pela demora em responder!

    O melhor jeito de evitar o leite empedrado é garantir que o bebê esteja fazendo a “pega” correta e esvaziando totalmente o peito na hora de mamar. Evite usar sutiãs meia-taça com ferrinho e descanse bastante e mantenha-se bem alimentada, para sua resistência não baixar. Dependendo da gravidade da mastite, o médico pode prescrever antibióticos (acho que é o seu caso).

    A cefalexina é compatível para o uso durante a amamentação, muitas mães já tomaram e prosseguiram com a produção de leite normalmente. O que induz a produção de leite é a sucção do bebê, ou seja, quanto mais o bebê mamar, mais leite será produzido. Portanto, após a mamada se você perceber que ainda sim ficou leite na mama faça a ordenha e esvazie a mama.

    Você precisa observar e realizar as seguintes sugestões:

    – Tenha certeza de que seu bebê está fazendo a pega correta.

    – Experimente posições diferentes para amamentar, para ver se o bebê pega melhor o seio.

    – Amamente sempre que puder, para manter a mama afetada o mais vazia possível.

    – Ordenhe o excesso de leite com as mãos ou com uma bombinha depois da mamada, se sentir que o bebê não chegou a esvaziar o peito.

    – Se você estiver se sentindo indisposta, descanse o máximo que puder, e não recuse ajuda nos cuidados com a casa.

    – Talvez você sinta algum alívio com a aplicação de compressas quentes na área afetada, ou com uma boa chuveirada com água quentinha. Há outras mulheres, no entanto, que se sentem melhor com compressas frias.

    – Experimente fazer uma leve massagem nos seios enquanto o bebê está mamando, para ajudar o leite a sair. Mas cuidado: uma massagem muito vigorosa pode até piorar a mastite, empurrando mais leite materno para dentro dos tecidos da mama.

    – Você também pode tomar analgésicos para a dor. Alguns antiinflamatórios e o paracetamol podem ser tomados durante a amamentação. Converse com o médico.

    Grande beijo,

    Qualquer coisa estou por aqui!

    Lorena

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *