O corpo ajusta a produção de leite materno à demanda do bebê a partir do segundo mês

Logo após o nascimento do bebê, o seio fabrica uma quantidade exagerada de leite, tornando o peito da mãe bem cheio, endurecido e um pouco sensível. Essa produção em exagero, não é imprescindível nem para a mãe e nem para o nutrimento do pequeno, portanto é indispensável compreender que esta produção de leite materno em excesso não será por todo o período em que o aleitamento materno estiver presente.

A partir do 2º ou 3º mês, ocorre um efeito biológico natural, em que a produção de leite materno é regulada de acordo com a demanda do bebê, ou seja, o leite produzido será o suficiente para suprir as necessidades nutricionais do seu bebê, não permanecendo o que ocorria anteriormente, a fabricação pelo organismo de leite em exagero. O ajuste é feito pelo próprio corpo de maneira que não sobre nem falte.

Por esse motivo observe a seguir alguns sintomas que esta regulação proporciona:

  • O Peito murcha, reduz de tamanho e fica mais flácido.
  • O Peito não enche mais como antes.
  • Não vaza mais leite.
  • A mãe não sente mais o leite descer.
  • Não existe mais aquele espirro de leite.
  • A mãe pode não conseguir retirar muito leite com a bombinha.

Apesar deste ajuste ter um início mais comum por volta do segundo mês após o nascimento do bebê, não há um período específico para que esta regulação aconteça e a produção de leite passe tão somente atender a quantidade exata de que o seu bebê precisa. Para algumas mulheres, o leite pode vazar nos primeiros dias, já outras vaza só nas primeiras semanas ou nos primeiros meses. Entretanto, algumas mães não passam nem pela fase do leite em excesso, apenas produzem o necessário para saciar a fome do seu pequeno.

Insegurança da mãe no período de ajuste da produção de leite materno

Neste momento, as cólicas do bebê ainda são percebidas, e o choro do bebê geralmente é vinculado erroneamente como fome e ausência de leite. A partir do 2º ao 3º mês de vida, o bebê já consegue realizar a sucção perfeitamente. Algumas crianças tornam-se tão competentes em extrair o leite do seio, que terminam a mamada aproximadamente em 5 minutos, quando anteriormente delongavam o dobro desse período.

Desta maneira, embora o bebê esteja saciado, a mãe fica pensando que a duração da mamada foi restrita pelo fato de não haver leite satisfatório. É importante saber que o bebê suga 80% do leite de que necessita prontamente nos primeiros quatro minutos de aleitamento. A medida que o bebê vai crescendo, vai ganhando peso lentamente. No primeiro aninho, ganhará cerca de 7 a 10 kg. Após um ano de idade, ganhará apenas cerca de 2 kg por ano até completar 5 anos. Quando for adulto, não ganhará mais peso.

Quando a mãe percebe que o seu filho está ganhando menos peso, ficará angustiada e pode entender, novamente, que seu leite é fraco. O crescimento e desenvolvimento do bebê em relação ao ganho de peso deve ser acompanhado excepcional por um profissional de saúde qualificado, preferencialmente aquele que entenda sobre o aleitamento materno.

O peito é fábrica e não estoque. A maior parte da produção de leite materno é fabricado ao decorrer da mamada, ou seja, quando o bebê está sugando consequentemente estará estimulando a produção. Muitas mamães vivenciam o equívoco ao pensar que o leite já deveria estar previamente estocado no peito antes da amamentação, porém, para amamentar, não é indispensável um peito cheio e inchado.

Produção de leite materno

2 Comments on O corpo ajusta a produção de leite materno à demanda do bebê a partir do segundo mês

  1. Patricia
    julho 19, 2016 at 6:50 pm (10 meses ago)

    Minha bebê fez sete meses e meus seios continuam vasando a cada mamada sinto eles encher e td.. o direito parece nunca esvaziar. Nunca pensei em amamentar tanto tempo. Pois minha outra filha tem seis anos e so mamou durante dois messes. Mas dessa segunda gestação minha filha me suga e muito a td hora.. É confesso como é bom poder amamentar

  2. lorena
    julho 20, 2016 at 3:00 pm (10 meses ago)

    Bom dia Patricia!

    Que gracinha <3

    A produção de leite começa a reduzir um pouquinho a partir do segundo mês de vida do bebê. Pois, o organismo entende que não precisa produzir leite em abundância para suprir as necessidades nutricionais daquele bebê, e produz somente o necessário para saciar a sua fome, ou seja, nem mais e nem menos, o tanto suficiente e exato para ele. E assim, algumas mamães pensam que o seu leite está secando, e na verdade, não é que o leite está secando e ela está deixando de produzir alimento para o seu filho, mas sim, que o seu organismo está se ajustando de acordo com a demanda do bebê. Se você produz muito leite e a sua bebê mama em livre demanda, ótimo!!! Isso quer dizer que o seu organismo está produzindo a quantidade de leite necessária para suprir as necessidades essenciais da sua pequena, e promovendo a ela o melhor alimento que você podia oferecer!!! Que lindo saber que você gosta de amamentar, esse para mim é o vínculo mais sincero de amor entre um bebê e uma mãe! Obrigada por seu relato!!!! <3

    Grande beijo,

    Lorena

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *