O que fazer se eu tiver rachaduras e fissuras nos seios?

Rachaduras e fissuras

As temidas rachaduras e fissuras são lesões que podem ter diferentes origens, mas em sua grande maioria são causadas pelo posicionamento e pega inadequados. Antes, as mulheres viviam toda a gravidez preparando os mamilos para que não desenvolvessem fissuras e rachaduras durante a amamentação. Hoje, após vários estudos científicos terem sido publicados, a orientação é a de que não é necessário esfregar toalhas ou buchas nos mamilos, nem mesmo usar óleos ou cremes, pois estes atos não agem no fortalecimento da pele e em nada protegem a amamentação.

Aliás, muitos profissionais de saúde ainda recomendam o uso das buchas nos mamilos, o que oferece espaço para o excesso, tendo em vista que muitas mulheres raciocinam que quanto mais elas friccionarem, mais forte a pele permanecerá e menos problemas apresentarão. Como efeito, algumas mulheres podem chegar à maternidade com os mamilos já feridos e, quando o bebê mama, as rachaduras espontaneamente surgem. Além disso, algumas pacientes notam muitas contrações ao esfregar buchas nas mamas na etapa final da gravidez, pela excitação do hormônio ocitocina.

Algumas circunstâncias podem promover a manifestação destas lesões e é imprescindível que você fique atenta. Previna-se:

  • Desnutrição e desidratação materna
  • Posicionamento inadequado
  • Pega inadequada
  • Mamilo curto/plano/invertido
  • Uso impróprio de bombas
  • Uso de creme e óleos
  • Uso de protetores de mamilos (algodão)
  • Exposição prolongada a forros úmidos
  • Alteração na mandíbula do bebê
  • Parto traumático

Dicas:

  • Permaneça amamentando o bebê e tente encontrar a causa das lesões. Principie pela observação do posicionamento e da pega;
  • O leite materno apresenta substâncias cicatrizantes e por isso ele precisa ser passado no mamilo, com as mãos limpas, posteriormente as mamadas. Em seguida, deve-se deixar o mamilo secar naturalmente;
  • Conserve o mamilo seco a maior parte do tempo;
  • Não utilize creme hidratante, sabonete ou álcool na área lesada;
  • Alterar as posições pode auxiliar na cicatrização e abrandar a dor;
  • Sol, secador e ar livre sempre que possível;
  • Evite o ingurgitamento materno;
  • Comece a amamentar o bebê pelo lado menos afetado;
  • Ordenhe um pouco de leite antes da mamada para deixar o seio mais macio e desencadear o reflexo da ocitocina, que fará o leite fluir com mais facilidade e, assim, o bebê não precisará sugar com muita força para conseguir o leite;
  • Não limitar o tempo das mamadas;
  • Não pular mamadas;
  • Não use chás, casca de banana ou qualquer outro produto natural, pois eles não são cientificamente indicados e podem agravar o quadro;
  • Utilize pomada de lanolina (Lansinoh), se possível – após conformidade da pega e do posicionamento;
  • Melhore sua alimentação e ingesta hídrica;
  • Evite aproveitar protetores de mamilos, uma vez que este produto mantém a região úmida.

Sugestão de vídeo: 

 

Referência Bibliográfica:
  • MARIANO, Grasielly – “Socorro, eu não sei amamentar!”. 2ª edição – Nova Odessa: Napoleão; Jefte, 2012. 128 p.
  • VÍDEO: Canal no Youtube – Instituto Amamentar.  Autora: Rose Quadros. 

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ ℓεiค τคмвεм ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *