Vacina contra a febre amarela: alerta sobre alta da doença no Brasil

Desde o ano de 1942, não há registro de nenhum caso de febre amarela urbana. Contudo, nos últimos dias, existiu registro da contaminação de alguns indivíduos pela febre amarela silvestre. São pessoas, não imunizadas (não receberam a vacina contra a febre amarela), que estiveram presentes em regiões de floresta ou de mata de áreas caracterizadas de risco.

Vinculado a outros estados e municípios, o Ministério da Saúde adotou todas as estratégias para evitar a ocorrência de surto na população humana. Especialmente, a acentuação da administração da vacina contra a febre amarela dos indivíduos que estarão em contato com áreas consideradas de risco.

O nosso país têm uma vacina extremamente eficiente contra a doença. A mesma, precisa ser administrada dez dias antes de pessoas entrarem em contato com estas áreas instituídas de risco. Não é preciso tomar a vacina as pessoas que já foram vacinadas pelo menos uma vez na vida.

vacina contra a febre amarela

Doença

A febre amarela é considerada uma doença infecciosa aguda, de curta duração (aproximadamente 10 dias), gravidade instável, originada pelo vírus da febre amarela, que acontece na América do Sul e na África. O microrganismo envolvido é o vírus RNA (Arbovírus do gênero Flavivirus, família Flaviviridae).

Sintomas

Os sintomas são caracterizados por: febre, cefaleia, calafrios, náuseas, vômito, dores no corpo, hemorragias (de nariz, gengivas, intestino, estômago e urina), icterícia (a pele e os olhos ficam amarelos).

A doença é transmitida através da picada dos mosquitos transmissores infectados. Não há outro tipo de transmissão.

Tratamento

Não há um tratamento específico. Este, é somente sintomático e exige cuidados durante a assistência ao paciente que, sob internação, deve manter-se em repouso com reposição de líquidos e das perdas sanguíneas, quando orientado. Em casos graves, o paciente imprescindivelmente deve ser atendido numa Unidade de Terapia Intensiva. Caso não recebe atendimento médico, ele pode vir a óbito.

Prevenção 

A forma mais eficaz de impedir a febre amarela silvestre é a vacina contra a febre amarela. Ela precisa ser administrada 10 dias antes de entrar em contato com as áreas de risco de transmissão da doença. Pode ser tomada a partir dos 9 meses e é válida por toda a vida, exceto para as crianças de 9 meses a 5 anos de idade. A vacina não é indicada a grávidas, imunodeprimidos (indivíduos com o sistema imunológico enfraquecido) e indivíduos alérgicos a gema de ovo.

A aplicação da vacina é recomendada para todas as pessoas que residem em áreas consideradas de risco para a doença (zona rural da Região Norte, Centro Oeste, estado do Maranhão, parte dos estados do Piauí, Bahia, Minas Gerais, São Paulo, Paraná, Santa Catarina e Rio Grande do Sul), onde existem casos da doença em humanos ou disseminação do vírus entre animais (macacos).

Surto da febre amarela no Brasil

A OMS (Organização Mundial da Saúde) integrou vários estados na região de risco de transmissão de febre amarela. A organização afirma que a vacinação é indicada para quem viaja para quaisquer dos estados descritos na lista das áreas de recomendação para vacina febre amarela. 

Em 2009, onze pessoas morreram no Estado de São Paulo. No ano passado (2017), a preocupação retornou depois que a doença vitimou dez pessoas em municípios localizados no interior, como Américo Brasiliense e São João da Boa Vista e Batatais.

Agora, no início de 2018 essa preocupação modificou-se para medo real. Desde o dia 1º foram registradas mais seis mortes. Ou seja, o vírus propiciou metade do estrago que existiu em todo o ano passado. Ainda, ele se aproximou bastante da capital: quatro óbitos aconteceram em Mairiporã, na Grande São Paulo.

Vacina contra a febre amarela

A vacina contra a febre amarela é recomendada a partir dos 9 meses até 60 anos de idade que não estejam integrados ao grupo de contraindicações.

Os efeitos colaterais que acontecem com mais frequência da vacina da febre amarela são iguais aos das demais vacinas como: dor no local da aplicação, dor no corpo, febre e mal estar. É importante ressaltar que nem todas os indivíduos apresentam estes sintomas.

Uma dose apenas da vacina contra febre amarela é capaz de proteger a vida toda, de acordo com os estudos mais recentes. Desta forma, quem já recebeu pelo menos uma dose da vacina na vida não precisa tomar a vacina novamente, mesmo que esta dose tenha sido aplicada há mais de 10 anos. A exceção é exclusiva para as crianças de 9 meses a 5 anos de idade. Quem tomou uma dose neste intervalo deve receber um reforço após os 5 anos.

A dose fracionada da vacina contra febre amarela, que tem início em fevereiro de 2018 foi deliberada com o objetivo de resguardar proteção para um número maior de indivíduos. É necessário compreender que a fabricação das vacinas contra a febre amarela é limitada e não existe como suprir as demandas da população inteira.

Assim, existiam duas opções: vacinar integralmente somente um pouco da população, ficando milhões de pessoas sem proteção; ou vacinar fracionadamente um número maior de indivíduos, aproximadamente cinco vezes mais, quintuplicando a quantidade de pessoas vacinadas e garantindo uma cobertura bem  mais extensa. De acordo com os estudos efetivados em Bio-Manguinhos/ Fiocruz a duração da vacina fracionada é de 8 anos.

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *