Vacina da gripe (Influenza) – FRAGMENTADA E INATIVADA

A vacina da gripe é constituída por diferentes cepas de Myxovirus influenzae inativados, timerosal e outros conservantes. Apresenta-se na forma líquida em frasco-ampola de múltiplas doses ou com dose única de 0,5 mL ou 0,25 mL. A composição viral depende da indicação da Organização Mundial da Saúde, e pode ser diferente a cada ano.

Há vacina trivalente, constituída por duas cepas de vírus A e uma cepa de vírus B, e vacina quadrivalente, composta por duas cepas de vírus A e duas cepas de vírus B.

Quando a apresentação é monodose, ou seja, em seringas findas com doses individuais, a vacina não contém conservantes. Se a apresentação for multidose, como ocorre com outras vacinas, contém timerosal (proveniente do mercúrio) como conservante.

Podem ter traços de formaldeído e antibióticos (comumente gentamicina ou neomicina), usados durante a produção para precaver contágio por germes. Também contém cloreto de sódio e água para injeção.

Doença

A gripe é caracterizada por uma infecção viral que acomete principalmente as vias aéreas e o pulmão. Para adquiri-la, é necessário entrar em contato com secreções de pessoas que já estejam contaminadas. Depois de um espirro ou um beijo, o vírus Influenza se condescende às células do aparelho respiratório do novo hospedeiro e começa a se replicar com rapidez. Para rebater o ataque, o organismo inicia o aumento da produção de muco e temperatura corporal, e a partir daí surge a coriza e a febre. Como a gripe também gera uma pequena inflamação nos músculos, o corpo também pode permanecer dolorido.

Especialmente em pessoas com o sistema imunológico debilitado, essa doença pode evolver para uma pneumonia. Existem eventos raros nos quais ela promove um infarto. Contudo, nessas situações, geralmente o paciente já lidava com uma doença cardíaca. Adverso ao resfriado, que evolui vagarosamente, a gripe surge repentinamente. No geral, ela não continua por mais de uma semana.

Vacina da gripe

Indicações

Protege contra influenza (gripe) para as cepas presentes na vacina. No calendário vacinal do SUS é destinada às crianças de 6 meses a 4 anos de idade, aos idosos com 60 anos ou mais, às gestantes e puérperas. Também é indicada para profissionais da saúde, população privada de liberdade, população indígena, obesos, e pessoas a partir de 6 meses de idade portadoras de: doenças crônicas (pulmonares, cardiovasculares, renais, metabólicas, hepáticas e hemoglobinopatias); imunodepressão (HIV positivo, transplantados); neoplasias; fibrose cística; trissomias; implante de cóclea. Indica-se também para as pessoas que convivem intimamente (mesmo domicílio ou cuidadores) com portadores das doenças citadas.

Idade para aplicação

A partir dos 6 meses. Não há idade máxima para aplicação.

Esquema básico da vacina da gripe

Uma dose anualmente, preferencialmente no outono. Em crianças menores de 9 anos, no ano que recebem a vacina pela primeira vez, aplicar 2 doses coim intervalo de 30 dias.

Contraindicações

Reação anafilática à ingestão de ovo ou à dose anterior da vacina.

Intervalo entre outras vacinas

Não há.

Aplicação

Em menores de 3 anos a dose é 0,25 mL. A partir de 3 anos de idade e adultos aplicar 0,5 mL.

A via de aplicação é a intramuscular em deltoide ou região dorsoglútea.

Utilizar seringa de 2,0 mL ou 3,0 mL e agulha 25 x 7 ou 30 x 7, de acordo com a massa muscular.

Eficácia da vacina da gripe

Varia de 70% a 90% em adultos jovens. Protege de doenças respiratórias agudas 58% dos idosos. Apresenta cerca de 70% de efetividade na prevenção de hospitalizações e pneumonias primárias e secundárias.

Eventos adversos da vacina da gripe

Como eventos locais: dor, edema, eritema, enduração. E como eventos sistêmicos: febre, mal-estar e mialgia.

  • Compreende-se que a Síndrome de Guillain-Barré (SGB) pode acontecer por mais de uma causa, contudo em raras situações seu aparecimento calhou com a administração de uma vacina – nesses eventos, apareceu entre um dia e seis semanas após a aplicação da vacina. Com restrição de uma vacina característica para gripe suína de 1976, todos os outros estudos que foram em busca de uma ligação entre a causa em meio a vacina influenza e SGB conseguiram decorrências contraditórias, alguns achando essa semelhança e outros não. Até o momento, não se sabe se a vacina influenza pode realmente aumentar o risco de repetição da SGB em pessoas que já a apresentaram. Também é fundamental entender que alguns vírus podem desencadear essa síndrome.

Conservação

De +2ºC a +8ºC em todas as instâncias da rede de frio. Depois de aberto, o frasco pode ser utilizado durante 7 dias consecutivos (consultar se há outra orientação do laboratório produtor), desde que esteja dentro do prazo de validade e utilizado com técnica asséptica.

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

  • Em caso de febre, precisa-se aprazar a vacinação até que o indivíduo esteja melhor;
  • Indivíduos com histórico de alergia grave ao ovo de galinha, com sinais de anafilaxia, devem receber a administração da vacina em âmbito com condições de atendimento de reações anafiláticas e continuar em observação por aproximadamente 30 minutos;
  • No caso de história de síndrome de Guillain-Barré (SGB) até seis semanas depois da administração da dose anterior da vacina, orienta-se avaliação médica rigorosa em relação ao risco-benefício antes de receber nova dose;
  • Excetuando os eventos aqui mencionados, não são cogentes cuidados especiais antes da administração da vacina;
  • Compressas frias suavizam a reação no local da aplicação;
  • Presença de algum sintoma grave e/ou repentino depois da administração da vacina precisa ser comunicado ao serviço que a efetivou;
  • Sintomas de ocorrências adversas graves ou duráveis, que se delongam por mais de 24 a 72 horas (dependendo do sintoma), devem ser averiguados para investigação de outras causas.

Qual a importância de se imunizar contra a gripe? 

Novos estudos apontam que o vírus influenza está vinculado a distintas complicações, como pneumonia e doenças cardíacas. Desta maneira, ao tomar a vacina, você não está realizando somente a prevenção contra a gripe, mas também evitando quadros mais graves interligados à internação e ao óbito. Outra questão é a importância social, pois a partir do momento que realizamos a prevenção, reduzimos a disseminação do agente infeccioso e impedimos que ele seja transmitido e infecte outros indivíduos.

A vacina da gripe é mesmo eficaz?

Nos meses mais frios, é corriqueiro ouvir pessoas que receberam a vacina contra a gripe dizendo que mesmo com a administração da dose, adoeceram. Desta maneira, acabam não acreditando na eficácia da vacina. Estudiosos argumentam que, com muita constância, a febre, a secreção nasal, a tosse e o abatimento fazem parte de um equívoco: o que aparentemente semelha a uma gripe, e que imediatamente leva enfermos a superlotarem o pronto atendimento dos hospitais procurando atendimento, na maioria das vezes não é. Confunde-se a gripe “certa”, transmitida pelo vírus influenza, com representações de síndrome gripal, de sintomas muito semelhantes, porém que são instigados por outros vírus respiratórios, como o rinovírus, o adenovírus e o sincicial.

vacina da gripe

Referência Bibliográfica:

  • Vacinas: Orientações práticas/Rosana David, organizadora; Lourdes Bernadete S. P. Alexandre_4. ed. São Paulo: Martinari, 2015.

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *