Vacina Febre Amarela e amamentação: dúvidas comuns

Estão surgindo muitas dúvidas em relação a vacina Febre Amarela e amamentação. É cogente saber que a mesma não é recomendada para lactantes que estejam amamentando bebês com até 6 meses de vida.

Vacina Febre Amarela e amamentação

Caso a vacina Febre Amarela tenha sido administrada em alguma mãe que esteja amamentando o seu bebê de menos de 6 meses de idade, o aleitamento deve imprescindivelmente ser adiado por 10 dias após a dose aplicada. A orientação foi renovada, pois antes o adiamento era por aproximadamente 28 dias.

Transmissão do vírus ao bebê

Essa nova recomendação emitida através do Ministério da Saúde implica que quem está praticando a amamentação a adiar a vacinação contra a doença até a criança completar seis meses. Referente às recomendações do órgão do Governo, existe risco de os bebês serem contaminados pelo vírus atenuado da doença, utilizado na produção da vacina, já que o vírus pode ser transferido ao neném através do leite materno da mãe que recebeu a vacina.

Ordenha e estocagem do leite materno

Se não houver possibilidade de adiar, o Ministério orienta que seja realizada a ordenha do leite materno antes da vacinação e o mesmo seja congelado e estocado para ser ofertado ao bebê durante os 10 dias após a aplicação da vacina. Uma orientação complexa de ser realizada, já que o volume é grande para ser extraído e conservado com segurança. Depois de 10 dias o vírus atenuado não fica mais presente no leite materno.

Casos de transmissão do vírus no Brasil

As mudanças nas recomendações para quem está praticando a amamentação aconteceram pelo fato de o Brasil ter certificado, pela primeira vez, dois casos em que mães vacinadas contra a febre amarela transferiram o vírus ao bebê, através do aleitamento materno. Os dois bebês, que manifestaram problemas neurológicos, progrediram positivamente.

vacina febre amarela

• Leia também sobre a vacina febre amarela e gravidez

Febre Amarela

Doença

A febre amarela é considerada uma doença infecciosa, de gravidade variável e com aproximadamente 12 dias de duração, entretanto com alta letalidade.

Transmissão

A transmissão ocorre através da picada de mosquitos transmissores contaminados – insetos silvestres ou urbanos, como o Aedes aegypti. Não existe transmissão entre pessoas.

Sintomas

Febre, cefaleia, calafrios, náuseas, vômito, algia no corpo, icterícia e hemorragias.

Tratamento

Não existe remédio, somente se controlam os sintomas.

Prevenção

É necessário prevenir a doença por meio da vacinação. Gestantes e mães que estão em processo de aleitamento materno com bebês menores de 6 meses de idade não devem tomar a vacina.

Gestantes, independentemente do estado vacinal

A vacinação está contraindicada

Quando não existe possibilidade de adiar a vacinação, como em ocasiões de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem para regiões de alerta para contrair a febre amarela, o médico precisará averiguar o benefício e o risco da vacinação.

Mulheres que estejam amamentando bebês com até 6 meses de idade, independentemente do estado vacinal*

A vacinação não está indicada, devendo ser suspensa até o bebê completar 6 meses de idade.

Quando não existe possibilidade de suspender a vacinação, como em ocasiões de emergência epidemiológica, vigência de surtos, epidemias ou viagem para regiões de alerta para contrair a febre amarela, o médico precisará analisar o benefício e o risco da vacinação.

Em caso de mulheres que estão inseridas no processo de amamentação e tomaram a vacina, o aleitamento materno deve ser adiado por 10 dias após a aplicação.

Esquema vacinal

A Organização Mundial de Saúde orienta que somente uma dose da vacina já é suficiente para se imunizar para sempre. Contudo, como medida adicional de prevenção, o Ministério da Saúde estabeleceu a continuidade do esquema de duas doses da vacina Febre Amarela no Calendário Nacional, sendo uma dose administrada aos noves meses e um reforço aos quatro anos de idade.

ATENÇÃO: A vacina Febre amarela e amamentação está contraindicada apenas quando a mãe está amamentando um bebê que ainda não completou 6 meses de idade, não sendo necessário suspender o aleitamento materno caso esta, esteja amamentando uma criança ACIMA de 6 meses. 

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *