Vacina Haemophilus influenzae tipo b: previne principalmente meningite

A vacina Haemophilus influenzae tipo b é uma vacina inativada, assim, não existe possibilidade de originar a doença. É integrada por pó liofilizado com polissacarídeo da cápsula da bactéria Haemophilus influenzae tipo b (Hib) conjugado com toxoide tetânico, lactose, cloreto de sódio, água para injeção. As apresentações multidose inclui fenol. Aquelas que estão disponibilizadas na rede pública há timerosal (derivado do mercúrio).

Sua apresentação pode ser isolada ou combinada com a vacina tríplice bacteriana (DTPw ou DTPa).

Indicação da vacina Haemophilus influenzae tipo b

  • Crianças a partir de 2 meses de idade, até 5 anos.
  • Crianças com idade superior a 5 anos, adolescentes e adultos com condições médicas que elevam o risco para patologias por Hib: inexistência de baço ou disfunção nesse órgão; anteriormente e/ou depois de um transplante de órgão ou medula óssea; após quimioterapia; entre outras.

Contraindicação da vacina Haemophilus influenzae tipo b

Indivíduos que manifestaram anafilaxia causada por qualquer elemento da vacina ou por dose anterior.

Esquemas de doses

  • O PNI (Programa Nacional de Imunizações) orienta e oferece a vacina em três doses, a qual deve ser administrada: aos 2, 4 e 6 meses de idade. A Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM) e a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) sugerem uma quarta dose entre 12 e 18 meses, principalmente para crianças imunizadas com a vacina DTPa.
  • Crianças com idade superior a 5 anos, adolescentes e adultos não imunizados e com patologias que elevam o risco da doença: aplicar duas doses com intervalo de dois meses.

acina Haemophilus influenzae tipo b

Via de aplicação

Intramuscular ou Subcutânea (jamais pelas vias intravascular ou intradérmica).

Cuidados antes, durante e após a vacinação

  • Não são mandatórios cuidados específicos antes da administração da vacina;
  • Em caso de febre, deve-se aprazar a vacinação até que aconteça a melhora;
  • Compressas frias suavizam a reação no local da aplicação;
  • Qualquer sintoma grave e/ou inesperado depois da administração da vacina precisa ser notificado ao serviço que a efetivou;
  • Sintomas de eventos adversos graves ou duráveis, que se delongam por mais de 24 a 72 horas, precisam ser analisados para averiguação de outras causas.

Efeitos e eventos adversos da vacina Haemophilus influenzae tipo b

  • Pode acontecer dor no local da administração da vacina em 3% a 29% dos imunizados; e edema, enrijecimento e rubor em 0,2% a 17% deles.
  • Concernente às reações gerais, a febre que se inicia nas primeiras 24 horas depois da imunização é observada por 1% a 6% dos vacinados; cansaço, vertigem, cefaleia, irritação e desconforto gastrintestinal leve podem manifestar em 1% a 20% dos imunizados.
  • Um a cada 600 mil imunizados apresenta alergia a algum elemento da vacina, principalmente ao timerosal (derivado do mercúrio), sendo mais difícil em crianças e adolescentes.

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *