Vacina hepatite A

A vacina hepatite A adsorvida (inativada) é composta de vírus inteiros da hepatite A inativados. A apresentação utilizada no PNI, destinada apenas às crianças, contém 25 U do antígeno da hepatite A. Além do antígeno a vacina contém hidroxifosfato de alumínio amorfo, conservantes e estabilizador de pH. Apresenta-se na forma líquida (suspensão branca, ligeiramente opaca) em frasco ampola monodose de 0,5 mL por dose (25 U).

Doença

A doença é ocasionada pelo vírus da hepatite A. Sua transmissão acontece pelo consumo de água ou alimentos contaminados com substância fecal. A pessoa contaminada excreta o vírus nas fezes, podendo infectar a água onde não há condições apropriadas de saneamento básico. Os indivíduos que ingerirem a água contaminada ou alimentos crus higienizados com essa água, podem se contaminar, assim como ao consumir frutos do mar crus, de água poluída com esgoto.

Outra maneira de transmissão da hepatite A é proveniente da falta de asseio adequado depois da evacuação, quando alguém contaminado com o vírus manuseia alimentos sem higienizar as mãos depois de ir ao banheiro.

É comum a transmissão de hepatite A entre crianças, que na maioria das vezes não lavam as mãos, pegam em brinquedos que outras crianças brincam e também pegam com a mão suja e levam tanto os brinquedos quanto as mãos à boca, dessa forma deglutindo o vírus.

Indicações da vacina hepatite A

Previne hepatite pelo vírus A.

Idade para aplicação

A partir de 12 meses de idade. No PNI a idade para vacinação é de 12 a 23 meses.

Esquema básico da vacina hepatite A

Duas doses com intervalo de seis meses.

A Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) orienta a aplicação rotineira aos 12 e 18 meses de idade, ou o mais precoce possível, quando a administração da vacina não acontecer nestas idades preconizadas.

O PNI (Programa Nacional de Imunizações) modificou, em 201​7, a faixa etária do esquema de dose única da vacina para crianças entre 15 meses e antes de completar ​5 anos de idade.

Contraindicações

Reação anafilática a qualquer dos componentes da vacina e crianças menores de 12 meses de idade. Devem-se observar as contraindicações gerais à vacinação.

Intervalo entre outras vacinas

Pode ser aplicada simultaneamente com qualquer das vacinas do PNI. Não há intervalo mínimo entre outras vacinas do PNI.

Aplicação

A dose a ser aplicada é de 0,5 mL.

A via é intramuscular. O Ministério da Saúde preconiza o músculo deltoide como local da aplicação. Utiliza-se seringa de 2,0 ou 3,0 mL e agulha 20 x 5,5.

Eficácia da vacina hepatite A

O Ministério da Saúde considera estudos que indicam soroconversão maior de 99% após 4 semanas de vacinação.

Eventos adversos

Local: dor, vermelhidão e inchaço.

Sistêmico: fraqueza, cansaço, febre, náusea, vômito, dor abdominal e diarreia.

  • Em 10% das pessoas que foram vacinadas advêm: irritabilidade, cefaleia, exaustão, dor e rubor no local da aplicação;
  • Entre 1% e 10% dos indivíduos vacinados exibem falta de apetite, sonolência, diarreia, náusea, vômito, edema, indisposição, febre moderada, endurecimento no local da aplicação;
  • Entre 0,1% e 1% das pessoas vacinadas descrevem sintomas respiratórios, rinite, erupções na pele, dor muscular, tontura, rigor muscular;
  • Em 0,01% a 0,1% existiu redução da sensibilidade, dormências, pruridos, calafrios.

Conservação

A vacina deve ser conservada na temperatura de +2ºC a +8ºC. Não deve ser congelada. Deve-se observar o prazo de validade indicado pelo laboratório produtor.

Situações especiais

Segundo o laboratório produtor, em caso de crianças com distúrbio de coagulação, a via de aplicação poderá ser a subcutânea, embora a soroconversão esperada seja um pouco mais lenta do que pela via intramuscular.

A vacinação de crianças e adolescentes fora da faixa etária preconizada pelo PNI, bem como a vacinação de adultos, deve obedecer ao protocolo de imunobiológicos especiais.

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

  • Não são mandatórios cuidados específicos antes da administração da vacina;
  • Em caso de febre, deve-se aprazar a vacinação até que aconteça a melhora;
  • Em indivíduos com doenças que aumentam o risco de sangramento, a aplicação intramuscular pode ser trocada pela subcutânea;
  • Compressas frias suavizam a reação no local da aplicação;
  • Qualquer sintoma grave e/ou inesperado depois da administração da vacina precisa ser notificado ao serviço que a efetivou;
  • Sintomas de eventos adversos graves ou duráveis, que se delongam por mais de 24 a 72 horas, precisam ser analisados para averiguação de outras causas.

vacina hepatite A

Referência Bibliográfica:

  • Vacinas: Orientações práticas/Rosana David, organizadora; Lourdes Bernadete S. P. Alexandre_4. ed. São Paulo: Martinari, 2015.

♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡ ℓεiค τคмвεм ♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡♡

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *