Vacina pneumocócica 23-valente (polissacarídica) – VPP23

A vacina pneumocócica 23-valente é constituída de antígeno polissacarídico purificado de 23 sorotipos de Streptococcus pneumoniae: 1, 2, 3, 4, 5, 6B, 7F, 8, 9N, 9V, 10A, 11A, 12F, 14, 15B, 17F, 18C, 19A, 19F, 20, 22F, 23F e 33F, fenol como conservante e água bidestilada. Apresenta-se na forma líquida e já vem pronta para uso em embalagem unidose (seringa).

Doença

O Streptococcus pneumoniae, ou pneumococo, é uma bactéria que origina diversas doenças, algumas são mais simples como a sinusite e a otite, e outras são mais complexas, como meningite, pneumonia e septicemia. Há aproximadamente 90 tipos distintos de pneumococos. A bactéria pode estar presente na mucosa nasal e na garganta de pessoas saudáveis. Contudo, por motivo incógnito, pode colonizar o organismo, promovendo infecções graves.

A transmissão dessa bactéria acontece através de gotículas de saliva e advém frequentemente nos meses de inverno e princípio da primavera, comumente vinculada a aglomerações. A população de maior risco para obtenção de doença pneumocócica grave está entre pessoas com menos de dois ou mais de 65 anos. Outros grupos de risco para doença pneumocócica também existem, como crianças com anemia falciforme, pacientes que já retiram o baço e pacientes HIV positivos.

Vacina pneumocócica 23-valente

 

Indicações da vacina pneumocócica 23-valente

Está indicada para proteção contra as infecções causadas pelo Streptococcus pneumoniae (pneumococo) para os sorotipos presentes na vacina, incluindo otites, sinusites, meningite e pneumonia, entre outras e destina-se aos adultos com 60 ou mais anos que vivem em instituições fechadas ou que sejam portadores de doenças crônicas ou imunodepressão.

Idade para aplicação

No calendário nacional está indicada para idosos a partir de 60 anos. Não deve ser utilizada em crianças menores de 2 anos.

Esquema básico

O esquema é de dose única a partir de 65 anos. Aqueles vacinados com menos de 65 anos devem receber uma segunda dose aos 65 anos, obedecendo-se o intervalo mínimo de 3 anos entre estas duas doses.

Contraindicações da vacina pneumocócica 23-valente

A vacina está contraindicada em casos de antecedentes de reação anafilática aos componentes da vacina ou em dose anterior. Não vacinar com intervalo menor de 3 anos entre as doses.

Aplicação

A aplicação é intramuscular ou subcutânea, na dose de 0,5 mL.

Intervalo entre outras vacinas

Pode ser utilizada simultaneamente com outras vacinas. Não há necessidade de intervalo entre outras vacinas do calendário nacional ou outras vacinas utilizadas em situações especiais.

Eficácia da vacina pneumocócica 23-valente

A vacina confere eficácia de 80% para adultos jovens e de aproximadamente 75% para idosos.

Eventos adversos

Local: dor, edema e eritema. Como eventos sistêmicos: febre, em geral baixa, astenia, cefaleia e mialgia. Na revacinação os eventos adversos são mais intensos e mais frequentes.

  • As manifestações adversas mais comuns, que acontecem com mais de 10% dos indivíduos vacinados, são: dor no local da aplicação (60,0%), edema ou endurecimento (20,3%); rubor (em 16,4%); cefaleia (17,6%); exaustão (13,2%) e dor muscular (11,9%). Manifestações no local mais intensas, com edema de todo braço até o cotovelo, hematoma e manchas vermelhas podem acontecer em aproximadamente 10% dos vacinados.
  • Todas as manifestações adversas são mais comuns após revacinação com períodos curtos de tempo. Entende-se que estejam conexas com a apresentação de grande quantidade de anticorpos no organismo.

Conservação

A vacina deve ser conservada em temperatura entre +2ºC e +8ºC em todas as instâncias da rede de frio (local, regional e central).

Situações especiais

Pode ser aplicada a partir de 5 anos de idade como imunobiológicos especial, em situação especial contemplada pelo CRIE.

Cuidados antes, durante e após a vacinação:

  • Não são mandatórios cuidados específicos antes da administração da vacina;
  • Em caso de febre, deve-se aprazar a vacinação até que aconteça a melhora;
  • Compressas frias suavizam a reação no local da aplicação;
  • Qualquer sintoma grave e/ou inesperado depois da administração da vacina precisa ser notificado ao serviço que a efetivou;
  • Sintomas de eventos adversos graves ou duráveis, que se delongam por mais de 24 a 72 horas, precisam ser analisados para averiguação de outras causas.

vacina pneumocócica 23-valente

Referência Bibliográfica:
  • Vacinas: Orientações práticas/Rosana David, organizadora; Lourdes Bernadete S. P. Alexandre_4. ed. São Paulo: Martinari, 2015.

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *