Vacina poliomielite 1, 2 e 3 INATIVADA E ATENUADA

A vacina inativada poliomielite (VIP) também chamada “vacina Salk”, é constituída por cepas inativadas (mortas) dos três tipos (1, 2 e 3) de poliovírus, além de substâncias antibióticas como estreptomicina, neomicina, e polimixina B. Apresenta-se na forma de solução injetável em frascos contendo 10 doses.

poliomielite

Já a vacina oral poliomielite (VOP) é constituída por agentes imunizantes (poliovírus tipo 1, tipo 2 e tipo 3 vivos atenuados), conservantes (traços de eritromicina e estreptomicina, L-arginina e Twee.80) e establizante à base de cloreto de magnésio. Apresenta-se na forma líquida em frasco com aplicador conta-gotas, com 20 ou 25 doses. Também conhecida pela siga VOP – vacina oral contra a poliomielite.

poliomielite

Indicações para a vacina poliomielite

Está indicada para proteção contra a doença poliomielite, também conhecida como paralisia infantil e protege contra os três tipos de poliovírus (1, 2, 3). Está indicada a partir dos 2 meses de idade. A idade mínima recomendada é de 6 semanas.

A partir do ano de 2016, o Programa Nacional de Imunizações (PNI) inclui a vacina VIP nas três primeiras doses do primeiro ano de vida (aos 2, 4 e 6 meses de idade) e a VOP no reforço e campanhas de vacinação que acontecem anualmente.

Pela erradicação da poliomielite em diferentes regiões do mundo e também para impedir a paralisia que pode ser gerada pelo vírus integrado na vacina oral (VOP), a Organização Mundial da Saúde (OMS) orienta que países com risco reduzido para o desenvolvimento da doença, como o Brasil, passem a usar a vacina inativada (VIP), preferencialmente.

poliomielite

Idade para aplicação

A VIP deve ser administrada em crianças de 2 meses a 4 anos de idade (menores de 5 anos) que estiverem iniciando o esquema vacinal.

A VOP é recomendada de 6 meses a 14 anos, mas não há limite para vacinação, sendo indicada para adultos que se deslocam para regiões onde a doença ainda não foi erradicada.

Esquema básico

  • O esquema vacinal para prevenção da poliomielite é realizado de forma sequencial com a vacina inativada (VIP) e com a vacina oral de poliomielite (VOP), de quatro doses para crianças menores de 1 ano de idade que estiverem iniciando o esquema vacinal.
  • A VIP deverá ser administrada aos 2 meses (1ª dose) e 4 meses (2ª dose) de idade, e a VOP aos 6 meses (3ª dose), VOP aos 15 meses de idade (1º reforço) e aos 4 anos (2º reforço).
  • A preferência para a administração da VIP aos 2 e 4 meses de idade tem a finalidade de evitar o risco de evento adverso pós-vacinação. O intervalo entre as doses é de 60 dias, podendo ser de 30 dias, sendo que nos primeiros 6 meses de idade o intervalo mínimo de 30 dias só é recomendado se o indivíduo estiver sob risco iminente de exposição à circulação viral, como por exemplo, pessoas que se deslocarão a regiões endêmicas ou em situações de surto da doença.
  • No Estado de São Paulo o segundo reforço é preconizado aos 5 anos (usar VOP). O intervalo mínimo entre a 3ª dose e o 1º reforço é de 6 meses.

Contraindicações

VIP: Alergia grave a algum dos componentes da vacina ou à dose anterior.

VOP: Apresenta contraindicação, devendo ser substituída pela vacina poliomielite inativada (VIP) para pessoas com: imunodeficiência congênita ou adquirida (incluindo a AIDS), comunicantes de HIV e AIDS; crianças com histórico de paralisia flácida aguda associada à dose anterior e pessoas submetidas a transplantes de medula óssea.

Deve ser adiada nos casos de ocorrência de diarreia e/ou vômitos intensos e doença febril aguda.

Aleitamento materno não é contraindicação nem deve ser interrompido para a vacinação com VOP.

Aplicação

VIP: A dose recomendada é de 0,5 mL por via intramuscular na região do vasto lateral da coxa. Utilizar seringa de 3,0 mL e agulha de 20 x 5,5 ou 25 x 7,0.

VOP: A dose recomendada é de duas gotas administradas por via oral. Não há necessidade de jejum prévio. O único cuidado é que a nova dose deve ser administrada caso a criança regurgite.

Intervalo entre outras vacinas

VIP ou VOP: Pode ser feita simultaneamente com outras vacinas, não implicando ineficácia, nem prejuízos para a pessoa vacinada.

Exclusivamente VOP: Quando não utilizada simultaneamente com a vacina contra rotavírus, deverá ser respeitado um intervalo de 15 dias entre elas.

Eficácia

VIP: Estudos evidenciam que 30 dias após a vacinação primária (3 doses) os níveis de soroproteção são de 99 a 100%. A resposta à vacina poliomielite 1, 2 e 3 inativada pode ser reduzida se a pessoa estiver fazendo algum uso de algum tratamento imunossupressor ou se portador de alguma imunodeficiência.

VOP: De 90% a 95% após a 3ª dose.

As vacinas são muito eficazes, tanto a vacina de vírus vivo como a de vírus atenuado. Há tendência de erradicação da doença usando qualquer uma das apresentações.

Profilaxia pós-exposição

Em caso de epidemias o uso da VOP pode bloquear um surto epidêmico. Em caso de viagens a áreas endêmicas, recomenda-se o uso de uma dose de vacina poliomielite oral pela sua atuação protetora quase imediata.

Eventos adversos

VIP: Pode ocorrer no local: eritema, enduração e hiperestesia ou sensibilidade local aumentada ao toque manual. Como efeito sistêmico pode ocorrer febre moderada.

VOP: Ocorrência de paralisias flácidas após 4 a 10 dias do recebimento da vacina.

Conservação 

VIP: Em todas as instâncias da cadeia de frio deve ser conservada e temperatura entre +2º a 8ºC. Depois de aberta para uso, deve ser utilizada até 7 dias (verificar se há outra orientação do laboratório produtor). A vacina não deve ser congelada.

VOP: Nas instâncias regional e central deve ser mantida em temperatura a – 20ºC. Na instância local, deve ser conservada em temperatura entre +2º a + 8ºC. Depois de aberta para uso, tem validade e 5 dias, desde que mantida em temperatura adequada. Os frascos fechados,  na instância local, se conservados adequadamente, podem ser utilizados até o prazo de 3 meses da data do descongelamento independente do prazo de validade estabelecido no rótulo. Já o laboratório Biofarma orienta que os frascos após abertos poderão ser utilizados por uma prazo máximo de quatro semanas, desde que mantidos em temperatura adequada e dentro do prazo de validade, com duração máxima de 6 meses após o descongelamento. De toda forma, consultar a orientação do laboratório produtor a validade do frasco após aberto.

Situações especiais 

VIP: Em casos de discrasias sanguíneas pode ser utilizada a via subcutânea para administração da vacina.

VOP: Recomenda-se: uma dose para indivíduos procedentes de regiões com circulação do poliovírus selvagem, independente da situação vacinal; completar os esquemas dos menores de 15 anos procedentes dessas regiões; para os brasileiros que irão viajar para regiões com circulação do vírus, vacinar seletivamente antes da viagem, independentemente da situação vacinal.

Para indivíduos com cinco anos de idade ou mais, sem comprovação vacinal, recomenda-se 3 doses da vacina oral contra poliomielite (VOP), com intervalo de 60 dias ou mínimo de 30 dias, não havendo necessidade de reforço. Para as crianças nessa faixa etária com esquema incompleto, completar o esquema com VOP. Deve-se repetir a dose se a criança regurgitar, cuspir ou vomitar.

Doença e Transmissão

 

Referência Bibliográfica: 
  • Vacinas: Orientações práticas/Rosana David, organizadora; Lourdes Bernadete S. P. Alexandre_4. ed. São Paulo: Martinari, 2015.
  • VÍDEO: Canal no Youtube: Poliomielite, você sabe o que é?

Faça seu comentário!

Seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios devem ser marcados *

Comment *